Brasão

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso


Segunda-feira, 11 de julho de 2016 18h57


CHAPADA DOS GUIMARÃES

Grupo de trabalho define cronograma de ações para implementação do geoparque

Segundo o chefe do Núcleo de Apoio de Cuiabá do Serviço Geológico do Brasil (CPRM), geólogo Waldemar Abreu, o mapeamento é fundamental para conhecer a história geológica do local

THIAGO ITACARAMBY / SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO



Geoparque Chapada dos Guimarães (Foto: Angelo Varela/ALMT)

Propostas de implementação do geoparque, dentro dos limites do Parque Nacional de Chapada dos Guimarães, foram apresentadas nesta segunda-feira (11), pelo Grupo de Trabalho (GT), criado para dar encaminhamento aos trabalhos. A reunião contou com a presença das instituições parceiras do projeto, entre elas a Assembleia Legislativa.

Na primeira reunião foram formuladas diretrizes para realização das ações. É o caso do mapeamento dos geossítios; análise de exploração turística; evento para divulgação dos trabalhos; calendário de reuniões; e visita técnica ao Geoparque Araripe, localizado no Ceará.

O coordenador da equipe, o presidente da Associação de Geólogos, Caiubi Kuhn, frisou a importância do geoparque para a região, na questão do desenvolvimento financeiro, além do crescimento em relação ao turismo.

“A nossa proposta é o fomento do turismo, bem como o levantamento cientifico de toda a região. O projeto prevê o desenvolvimento local e fazer com que a gente tenha um modelo de turismo que considere todos os aspectos do meio físico, com foco na preservação do meio ambiente”.

Kuhn explica que quando se trata de um geoparque, na concepção da Unesco, esta se integrando uma rede de geoparques no mundo inteiro. “Existe um campo de turismo hoje no mundo, que é o turismo de natureza e, se nós conseguirmos obter o título, vamos estar espalhando o nome de Chapada dos Guimarães para o mundo todo”, pontuou.

Segundo o chefe do Núcleo de Apoio de Cuiabá do Serviço Geológico do Brasil (CPRM), geólogo Waldemar Abreu, o mapeamento é fundamental para conhecer a história geológica do local e, até mesmo servir de base de pesquisas científicas.

“O mapeamento é fundamental para explicar o porquê daquele sítio geológico, até mesmo para saber as reais condições daquele local. Vai poder explicar como a Chapada já foi mar, enfim, conhecer a estrutura geológica, os fósseis marinhos. A primeira vista parece estranho, mas tudo é perfeitamente normal”, destacou.

As instituições parceiras são: Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso, Universidade Federal de Mato Grosso, Instituto Federal de Mato Grosso, Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec), Companhia Mato-Grossense de Mineração (METAMAT).

Geoparques - é uma marca atribuída pela Rede Global de Geoparques, com o apoio da Unesco, a uma área onde sítios do patrimônio geológico representam parte de um conceito holístico de proteção, educação e desenvolvimento sustentável. Aspectos arqueológicos, ecológicos, históricos ou culturais podem representar importantes componentes de um geoparque.

 
 

Secretaria de Comunicação Social

Telefone: (65) 3313-6283

E-mail: imprensa1al@gmail.com


Associadas


Imagens